sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Paciência é uma virtude



Tópicos em escrita criativa
por Cristiane Salles - cristianesallesesilva@gmail.com

Sou colaboradora do blog há menos de cinco dias, e já me mandaram trabalho - fazer o que, né? Brincadeira. Aceitei com a condição de que eu pudesse falar do que mais gostasse, independente do que os outros estivesse fazendo - ruim escrever sobre algo que a gente não gosta, né? Então, disse (escrevi): fiquem com os detalhes técnicos (capa, diagramação, booktrailler, sei lá mais o que) que eu escrevo sobre escrita criativa, de uma forma mais original e mais acessível do que encontramos por aí. Assim nasceu esse post sobre escrita criativa, mas serão apenas tópicos, e não sei quando escreverei a continuação porque estou voltando para casa depois de um mês longe do meu baby e tenho outras coisas para fazer além de curtir sol, sombra e livros...

Bem, pra começar pelo começo, gostaria de falar um pouco sobre algo importante quando estamos escrevendo: PACIÊNCIA. Isso mesmo. A sagrada virtude. Quando começamos um romance, e isso é regra, devemos ter pelo menos uma noção do final da história, para que fique mais fácil guiar os passos dos personagens, e levá-los exatamente ao ponto onde gostaríamos que a história tivesse seu clímax, não é mesmo? Porém, especialmente quando ainda estamos no primeiro livro, é comum, enquanto autor estreiante, querer acabar logo para publicar logo e fazer sucesso logo. Essa é a lógica da cabeça do jovem escritor. Tudo é logo, tudo tem de ser rápido. E a pressa é inimiga da perfeição. Cada um tem seu ritmo de escrita, e o seu não precisa ser exatamente igual ao meu, nem mesmo parecidos (George R. R. Martin demorou seis anos para escrever o segundo livro da saga épica As Crônicas de Gelo e Fogo e Humberto Eco publicou O cemitério de Praga depois de trinta anos da publicação de O nome da rosa). Então, porque você não pode segurar seu livro por mais seis meses e melhorar o trabalho, menino? É claro que pode, podemos, devemos. Escrever não precisa ser como respirar (o tempo todo), muito menos como o arrastar de uma lesma... Devemos encontrar nosso próprio ritmo. E, por incrível que pareça, a pressa de escrever logo pode até mesmo ser sentida no texto, enquanto lemos. Dá pra saber se o escritor realmente dedicou um tempo justo a seu livro, ou correu mais do que queniano em Corrida de São Silvestre para chegar logo ao final.
Paciência, queridos e queridas. Paciência é uma virtude.
A história não vai fugir de você, mas os leitores vão se ela não for bem desenvolvida. E tem os críticos também - se bem que hoje em dia todo mundo quer ser crítico. Em outras palavras, esqueça os críticos, eles não sabem o que dizem (isso fica para outro post - Quando ouvir os críticos).
DICAS:
(1) Escolha as palavras que usará com amor e dedicação.
(2) Trabalhe cada parágrafo com afinco, revise as frases e veja se tem impacto ou se estão sobrando no texto.
(3) Revisite a biografia de seus personagens e veja se a ação deles naquela cena combina com a personalidade ou se foi um deslize seu.
(4) Apaixone-se pelos personagens para desejar passar mais tempo com eles.
(5) Se você quer voltar logo ao texto do livro é porque ele deu certo, é apaixonante e o livro funcionará.
(6) Se você não gosta do que está escrevendo porque os outros gostariam?
(7) Saiba o momento certo de colocar ação e o momento de divagar sobre outras coisas (ambiente, sentimentos).
(8) Escreva quando sentir vontade, mas não adie a escrita por muito tempo ou alguém escreverá algo parecido e publicará antes.
(9) Sempre tenha um leitor certo, para quem o livro é escrito, assim você o terminará.

Finalmente, a maior dica de todas...
(10) Se quer publicar logo para ver no que dá, escreva textos menores e publique. Não queira que seu primeiro livro seja o maior também (a não ser que você tenha paciência para isso). Depois de publicar projetos menores naturalmente nos acalmamos e fica mais fácil escrever aquela grande história com a qual sonhamos que todos tenham na estante... Aí, escrever fica bem mais fácil. E mais divertido também.
Nosso próximo tópico será...
TEMAS, TRANSAS E CARETAS - Definindo temas clichês e fugindo dos clichês. Aguardo vocês, escrevam para mim.

4 comentários:

  1. Adorei suas dicas e que venha o próximo tópico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por estar conosco, Raquel.

      Observatório Clube de Autores

      Excluir
  2. Olá! Recebi o convite do Hoffman para conhecer o blog, através do Clube de Autores, mas só agora conseguir acessar, depois que descobri uma forma de burlar o firewall aqui na rede do trabalho, que não me permite ver alguns sites e blogs (incluíndo o meu!). Descoberto essa burla, eis que consigo ler algumas postagens, embora não possa ver o blog ao todo. Bem, o pior já passou.

    Gostei das suas dicas, Cristiane. É algo que se aprende com os anos, depois de muitas cabeçadas, mas que é muito útil para os novos autores que estão, realmente, escrevendo seu primeiro livro.

    Gostar do que está fazendo é o mais importante de tudo. E não colocar patamares altos para não desanimar. Escrever primeiramente para si mesmo, então outros leitores serão lucro.

    Quero ver logo suas outras dicas, mesmo que vc não viva de sol, sombra e livros, rs.

    Bjoxxx!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pat,

      O Observatório Clube de Autores agradece sua visita, seu comentário e está sempre aberto para elogios e críticas. É ótimo tê-la conosco.

      Volte sempre,

      Observatório Clube de Autores

      Excluir

Quem sou eu

Minha foto
O Blog Observatorio Clube de Autores presta o serviço de dar visibilidade aos autores do Clube de Autores e suas obras. Este blog não é endossado nem recebe qualquer apoio do "Clube de Autores".