terça-feira, 19 de maio de 2015

As variáveis da escrita

Cuidados que devemos tomar ao escrever


Coletiva Observatório Clube de Autores


1ª Parte: Escrever um romance é narrar, não simplesmente informar
Quando escrevemos devemos ter o cuidado de dizer o que precisamos dizer, sem, contudo, ofender a inteligência do leitor. Bons autores encontram a forma correta de inserir informações sobre os mais diversos assuntos sem chatear o leitor. Por exemplo, vamos supor que eu queira introduzir conceitos médicos no meu texto – por mais que seja interessante para saber sobre o tipo de fratura que fulano teve, os medicamentos e procedimentos usados para seu tratamento, o tempo que ele ficou internado, o nome do médico, do hospital etc etc etc Bem, no final não é tão interessante assim, não é mesmo? Por isso, precisamos encontrar formas agradáveis de contatar o que tem de ser contado.



2ª Parte: Respeite meus cabelos brancos pintados! Eu sei ler entrelinhas
Quando Renly, de Game of Thrones, apareceu na série televisiva claramente como homossexual, alguns fãs menos atentos reclamaram que ele não era gay no livro. George R. R Martin, contudo, disse que Renly é gay no livro, sim, e que ele achou que tinha sido claro o suficiente em sua narrativa. Acontece que Martin foi tão singelo e tão delicado em seu livro, que algumas pessoas não entenderam o que ele queria dizer. Isso é escrever bem, é dizer algo sem dizer, sem ser explícito. Trouxe esse exemplo à tona porque me lembrei de uma texto de uma jovem autora onde ela escreveu: “Eu moro com meu amigo Lucas, uma pessoa superlegal... Ah, eu já estava me esquecendo, Lucas é gay.” Aqui temos um exemplo de mau uso do discurso, onde, em vez de ela pensar em um jeito melhor de contar que Lucas é gay, ela o faz de forma simplória e medíocre. Isso não é literatura. Isso é simplesmente informar, e cabe bem em um manual de televisão, não em um romance. Acho que devem existir pelo menos cem maneiras melhores de dizer que Lucas é gay de forma criativa e indireta:
“Lucas suspirou e olhou para mim com a costumeira ternura. É claro que ele preferiria dividir o apartamento com o Brad Pitty, mas eu era tudo o que ele tinha naquele momento.”
“Lucas e eu dividiríamos até a cama, mas isso não significava que ele poderia ficar com meu namorado. Isso passaria de amizade”.
“Lucas era uma mulher no corpo errado – acho que é mais ou menos isso que acontece, um passo em falso na fila da encarnação e você chega aqui com mais coisas do que deveria ter entre as penas.”
São apenas alguns exemplos. Há outros.



3ª Parte: Evite palavras complexas/opte pela simplicidade

No livro “Sobre a escrita” Stephen King dá vários exemplos de boas frases e más frases. As boas frases geralmente se valem de construções simples e palavras menos complexas. A simplicidade, mais uma vez, é o caminho mais seguro para um texto sólido e cativante. 


Sempre à disposição,

Observatório Clube de Autores

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
O Blog Observatorio Clube de Autores presta o serviço de dar visibilidade aos autores do Clube de Autores e suas obras. Este blog não é endossado nem recebe qualquer apoio do "Clube de Autores".